Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

REBOLEI E GOZEI NO PAU DO MENDIGO

REBOLE E GOZEI NO PAU DO MENDIGO



Manhã, depois das oito horas, marido trabalhando, crianças estudando, eu sozinha fazendo os deveres de dona de casa. Batida de palmas, sondo pela janela, vejo um pedinte no portão. Reluto se atendo, mas acabo abrindo a janela. O cara pediu comida ou alguns trocados, era barbudo, meio atarracado e com cara de bandido. Meu marido e eu sempre somos solícitos com as pessoas, falo espere um pouco e vou fazer um sanduíche para o homem. Quando estou indo, sondo pela janela o desgraçado tá fazendo xixi, bem na frente do portão. Penso em xingá-lo de porco, mas me detenho e olho ele chacoalhando um pênis mole mais bem grandão. Ele guarda o pinto, eu saio como se não tivesse visto nada e lhe entrego a comida. Ele agradece e está para se retirar quando pergunto:

- Não quer entrar para tomar o café sentado e sossegado?

- Será dona, não quero incomodá-la!

- Que nada, estou sozinha em casa. Naquele momento por incrível que possa parecer o seu pinto não me saía da cabeça!

Ele entrou na sala, sentou e comeu, enquanto falávamos assuntos banais. Apás recolhê-lo pensei em atiçá-lo, por outro lado o medo e a dignidade me impediam. Impulsionada pelo desejo, dei-lhe mais café e perguntei se ele tinha mulher. Falou que já teve, mas que agora estava num atraso fenomenal, olhando descaradamente para minhas pernas grossas, afinal eu estava com um vestidinho de usar em casa bem curtinho.

- E s senhora, uma dona gostosa assim, deve ter um marido garanhão.

- Nem tanto, pois também estou no atraso.

Naquele dia amanheci com um comichão no meio das pernas. Meu marido não me comeu, fez cu doce e saiu às pressas para o trabalho.

De repente ele se levantou e veio em minha direção. Pegou minhas mãos me levantou do sofá e me beijou. Eu resisti bravamente, mas depois acabei aceitando e correspondendo aquele beijo dominador daquele mendigo fedido!

- Madame a senhora está precisando de uma boa pica.

- Não, é melhor a gente parar!

Ele tirou o pinto para fora das calças que agora não estava mole, mas duríssimo como uma rocha. Sem dúvida era maior que o do meu marido. Cabeça vermelha, cheio daquele esbranquiçado, dava para ver que fazia dias que não era lavado. Eu uma negra cheia de não me toque, xingava até meu marido quando ele não lavava o pinto, olhava admirada para aquela cobra. Em vez de enxotá-lo de nossa casa, peguei a cobra e apalpei com as duas mãos. O danado gemeu e falou:

-Coloca na boca dona. A senhora já teve uma pica desse tamanho?

- Não nunca, sá dei para o meu marido e a pica dele é uma minhoca perto dessa coisa.

- Então experimenta, putinha!

- Meio com nojo abocanhei devagar a pica suja e com ânsia de vômito fui limpando aquele creme com a língua. O cara ia à loucura.

- Que boca madame, limpa essa pica direitinho que depois eu vou meter ela na sua buceta.

- Chupei feito uma piranha da rua por um pouco tempo. Ele mandou parar, arrancou a minha roupa rasgando a calcinha e caiu de boca na minha xana. Sua língua trabalhava como uma serpente e me levou ao gozo em duas oportunidades.

Colocou-me de quatro e foi introduzindo a ferramenta em minha buceta, que mesmo extremamente lubrificada sentiu as dimensões do pinto. Eu chorei quando senti as bolas batendo na minha bundona. Primeiro devagar e depois cadenciando o ritmo aumentando aos poucos pediu que eu rebolasse na pica.

- Rebola madame, que a coisa sá está começando. Era incrível, mas ele metia como um mestre, como imaginar que um cara daqueles soubesse comer tão bem uma mulher. A gente acha que já fez de tudo em matéria de sexo, mas ali eu percebi que existem coisas melhores que os frouxos de nossos maridos. Meu agora chifrudo marido, é um bom homem e um bom pai, cobra de mim as coisas que uma dona de casa tem que fazer. Mas naquele instante eu percebi que ele não era um bom amante e um bom comedor.

- Eu fui à loucura, rebolando para aquele safado dominador que me fez de cadela em seu pau. Bombava, parava me fazia gozar, mas segurava seu gozo. Ele tava sendo herái, pois para não gozar na minha deliciosa buceta ele parava, me mordia, me dava tapas e falava obscenidades.

- Seu maridinho não tá dando conta do recado, sua putinha. Então rebola no pau do mendigo fedido e fodedor.

- Vai gostoso me trata como mulher de rua, vadia e sem-vergonha. Dava tapas em meu bundão e enfiava ferozmente me fazendo eu gritar de prazer. Acho que até os vizinhos podiam ouvir meus uivos de dor e alegria.

Explodiu um rio de esperma na minha buceta lavando-me por dentro e fazendo eu me sentir a mais vadia das mulheres.

Depois que me recompus dei-lhe um dinheiro e coloquei para fora. Ele ainda perguntou quando voltava, mas nada respondi. Entrei e tomei um banho demorado na banheira.



[email protected]





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS



fanfiction contos eroticos de mulher de short de lycra curtoflogdosexo.compauloelizabethConto eu peguei meu genro me brechando no banhoconto erotico de casal fazendo as pazesconto erotico esposa come marido com cenouracontos eroticos meu genro se vestiu de mulherpadrinho cuida muito de mim-pornodoidocontos porno chantagiando a cunhadameu irmão me comeu conto gayeu quero ver Chiquinha revelando a bundabrincando com maninho acabou em sexoContos eroticos peguei minha mulher dando pra outro.contos eroricos de menina virgens que adorou ser estuprada pelo opadrasto e seus amigosfilme porno de saia curta botando uma pomba no cu e clorandocontos eróticos com animaiscontoerotico senhora mae sou mae bem discaradacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaesposa soltinha e seria com amigos em casa contoPornofamiliacontosmenina.de.dez anos usano fiu dental contos.eroticosContos eróticos família liberal.2,contos eroticosmenininhas dando rabinhodei minha filha p meu amante pauzudo desvirginar contoscontos eroticos descobri que era gay e não sabia parte5contos eroticos.deixei meu amante se exibir pra minha filhaContos eróticos - fudendo com dorContos O Negrão Engravidou Minha RabudaContos eróticos arrombei a linda noiva santinha do meu vizinho ciumentoContos gays odiei mas depois amei o meu coroa de jeba grande.contos eróticos doce infânciaconto erotico na sala de aulaconto erotico da cunhada pegando no pauconto erotico de feriadosconto peguei meu irmao assistindo filme pornocontos eróticos vc me acha bonitaminha mulher gosta de tomar porra de outro contocontos irmanzinha pediu pra ver meu pintocontos eroticos de estrupamendoconto erotico ninfetinha taradinhaconto erotico corno chantagem gayMostre minha rola cabeçuda para o cone e falei que ia comer sua mulher quando eróticoscontos eroticos provocando no barconto porno filha boquete paiContos eroticos gay Peguei no pau do meu irmao no quarto na belichecontos sadicos castigando a putinha com vibradorcontos eroticos de cu fedidoconto gay viciei na rola do negÃo"comi uma caloura"Xvideos gostosas musculos nas coxas na cabine eroticaContos eroticos de mulheres ce masturbanoconto erotico barzinho depois servicocontos travestis praiacontoseroticos cavermafilho Dando para o pai bêbado contosEu e minha prima na praia contosCHORONA CONTOS EROTICOhistorias eroticas comendo a irmãcontos comi a japonesa rabuda casadaconto quando era morava na roca e fui trabalha com um coroa para passar carpideira no cafe nao demorou muito ele comecou passar o pau no meu cu e gozar forapunheten o rabo da minha esposavoyeur de esposa conto eroticoagora sou viado dominado pelo machocontos e experiencias veridicas de zoofilia de menina com poneyMulherbrasileira ensinando a filha, meter contostravesti zinha bem novinha gememdo muito na picaBuceta cabeluda em contoscontos ela e feia e gostosacontos gays o mimadoContos eróticos, minha irmã tem ciumes de mim . Contos EróticosContos eroticos velha gordaconto erotico ensinandocontos eróticos escravo de minha irmã