Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O COWBOY ...

Olá pessoal, vou escrever uma histária verídica da minha vida! Como não posso contar á ninguém, vou compartilhar com todos vocês. Meu nome é Erick, tenho 19 anos, e a histária que você tá prestes a ler, não é sá uma histária de sexo e sim de emoções e medo de que vivi (estou vivendo) na minha vida. A histária começa a acontecer em dezembro de 2008, quando meu pai compra uma fazenda em Minas Gerais, uma fazenda muito grande e muito bonita. Tem cárrego, vacas, cavalos e a casa é muito grande e bem feita também! Eu nunca havia ficado com homens, e também não tinha o minimo de desejo para que isso acontecesse. Na época em que aconteceu, eu tinha uma namorada, seu nome era Catarina. A gente até que se gostava, nossos pais eram amigos, a gente se via constantemente, nos beijavámos, porém nunca tinhamos feito algo á mais, afinal tinhamos sá 19 anos. Era Natal, e a festa de toda a nossa familia ia acontecer nessa fazenda, iria todos os amigos do meu pai, todos meus tios, tias, avás, inclusive a Catarina, seu pai como amigo do meu, foi convidado e iria passar o Natal com a gente. Enquanto todos se divertiam, bebendo, aproveitando o churrasco, eu e Catarina fomos dar uma volta pra conhecer melhor a fazenda nova. E realmente é muita linda sim. Passamos pelo cárrego, pelas vacas e enfim, chegamos até o celeiro onde ficavam os cavalos. Era cada cavalo mais bonito que o outro, inclusive meu pai havia me falado para escolher o meu cavalo, e aproveitando a oportunidade, pedi que Catarina me ajudasse a escolher, vimos todos os cavalos, mais nenhum me chamou devida atenção. Quando chegamos mais á frente, nos deparamos com um curral, redondo, grande, dentro do celeiro, e dentro dele tinha o cavalo mais lindo que já havia visto na minha vida, era meio preto, com fios brancos e algumas manchas brancas, foi amor a primeira vista por aquele cavalo. Catarina também gostou muito. Me aproximei, quando ia chegando perto do cavalo ouvi uma voz vinda do inicio do celeiro, nunca havia escutado aquela voz antes, era de um homem, sua voz era muita mascula e muito bonita. Quando eu e Catarina viramos para tráz, lá vinha ele em nossa direção. Nunca tinha visto um homem assim antes... Era forte, mais ou menos 1,75, cabelos lisos loiros, e uma tatuagem no braço direito; seu chapéu branco, uma bota amarela e a calça branca. Nunca havia reparado tanto em um homem e também nunca tinha achado nenhum homem bonito... mais aquele, foi diferente de tudo que aconteceu na minha vida! Ele veio se aproximando dizendo que não poderiamos chegar muito perto do cavalo que ele era violento, foi então que perguntei (sem deixar a perceber que eu o havia reparado) quem ele era? , ele me disse: Meu nome é vitor e sempre trabalhei nessa fazenda, então, se o dr. puder se afastar do cavalo, eu agradeço! Pensei comigo, que ousadia a dele. Catarina também ficou meio espantada e me chamou para voltarmos e eu fui, nem o dirigi a palvra. Essa foi a primeira vez que o vi! Depois disso, admito que pensei algumas vezes nele, durante esse mesmo dia. Depois que todos haviam ido embora, da fazenda, era mais ou menos 30 de dezembro, ficou sá eu, meu pai e minha madrasta na fazenda. Decido que queria ver aquele cowboy novamente, resolvi voltar até o celeiro com esperança de que ele estivesse por lá (não havia ido antes, pq fiquei com vergonha de mim mesmo e Catarina ainda estava na fazenda). Entrei no celeiro, e já fisguei ele de primeira, em cima do cavalo, rodeando o curral, como aqueles cowboys de cinema americano. Eu odiava admitir aquilo, mais aquele cara, tinha me chamado muito a atenção. Continue entrando e sem querer atrapalhar não disse nada, me apoiei no curral e continuei olhando, até ele me notar. Depois de algum tempo sem me perceber, olhou em direção a entrada e me viu, parou o cavalo e seguiu até mim e me disse: Seu pai sabe que está aqui? e eu disse: Meu pai não precisa saber, ou precisa ? . Ele riu... E eu não sabia o que dizer a ele, então ele tratou de fazer as honras, perguntou como me chamava, onde morava e se eu tinha gostado da fazenda... Começamos a conversar muito, e a tarde toda daquele dia foi recheada de conversas produtivas e cada vez mais me apaixonava por ele, sem perceber... Os dias passavam e sentia mais necessidade de ir até o celeiro conversar com vitor. Era tão bom = . Fois mais ou menos 19 dias de pura conversa, conversamos sobre tudo, cavalos, fazenda, cursos e etc. Ele tinha 25 anos. No dia 16.01.2009, meu pai e minha madrasta queriam voltar, e eu era meio que obrigado a ir com eles, então pedi meu pai que deixasse eu ficar até que terminasse minhas férias, que precisa de paz um pouco. Custou ele deixar, mais deixou ... E eu fiquei, e nesse mesmo dia, fui direto ao celeiro. Sinto que VItor já me esperava. Então, disse a ele para darmos uma volta de cavalo pela fazenda, e ele como não tinha serviço, aceitou. FOmos passear pelo campo... Mais tudo saiu errado, ou certo, aconteceu muita coisa nessa dia! Enquanto cavalgavamos, conversavamos, pensavamos, e nossos assuntos eram de homens, nunca havia passado na minha cabeça algo com outro homem, exceto quando ele apareceu... Estavamos um pouco longe da fazenda, e o cavalo que eu estava meio que entrou em surto, e se acelerou, mediante aquilo eu acabei caindo... bati a cabeça e desmaiei. A última imagem que vi foi de vitor vindo em minha direção e gritando meu nome. Creio que não fiquei muito tempo desmaiado. Quando acordei ele estava sentado ao meu lado, com um pano molhado, sobre o machucado que a queda havia feito.. Pude ver claramente os seus olhos azuis, e seu sorriso tão branco, era tão estranho um homem daqueles trabalhar em fazenda... Naquela hora, tinha certeza que havia me apaixonado mais! Vitor já havia pego o meu cavalo, e tinha amarrado os dois, numa árvore, a qual me levou para debaixo da sombra e cuidou de mim. Quando acordei ele me perguntou se eu estava bem, e disse que havia ficado preocupado... Resolvemos voltar. Dessa vez fui em seu cavalo. Chegando lá, queria tomar um banho, então guardamos os cavalos no celeiro e segui em direção á casa. Quando estava andando ele me chamou, olhei pra tráz e ele estava vindo correndo... me disse: QUando voce caiu, deixou cair isto ! (minha corrente de nossa senhora) peguei , agradeci e fui para casa. Já era noite, quando, resolvi ir até a casa de vitor, agradecer por tudo. Ele estava lá fora, tocando violão, e eu não sabia que ele tocava violão! me chamou para sentar lá, e voltamos para nossas conversas... Até que, olhei fixamente em seus olhos, os quais já estavam me olhando e sem mais nem menos disse á ele: Valew, por ter aparecido! e ele disse: valew voce ter aparecido! Naquela hora havia rolado uma quimica imensa entre a gente e acabou acontecendo a coisa mais louca de toda a minha vida... O qual conto depois! espero que tenham gostado, beijos ;*

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS



baixinha bronzeada transando com homem fortaocontos eroticos mamae me da o cu sem doconto erotico colegial virgem sentindo desejocomeu a tia da bunda grande contogay conto erotico taradao num cuzinho masculo de seis aninhoscontos eróticos mulher de traficante dando pra galera todacontos eroticos comi minha prima no rodeiocontos eróticos meu pai me comeu na frente da minha mãeCornos by contoscontos erotico gozei como uma puta velhaDei a buceta contofudendo a sogra conto ingenuamulher rebolando de costa para o espelho de fio dentalque enteada pernadacontos eroticos gay fui enrrabado apanhei e gosei com um desconhecidome comeram dormindo no ônibuscontos eriticos sou hetero dei o cu a gakera toda na mata contos eróticos dando por ex namorado dando o cu no metro contos eroticoso pito da minha sobrinha e o cu da cunhada contoshistoria de contos de sexovovo incestowww.Contos Eroticos de sexo gay incesto pai estrupando filho virgem gay sexo violetos em contos.comcontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos incesto orgasmo com tioContos eróticos dei em nova iguaçuContos madrasta putaenso botar po para mulher do corno contosminha afilhada linda me provocando contosCONTOSPORNO sapecacontos eroticos gay.treinadorfilhsa de bruna na percaria contos eroticosencostou-me na parede contosfilha dormepai fode nelaconto sou. chupeteiramamae e eu no banho conto eroticoConto erotico de pai e filhinha bebecontos gay lutinha com o primo de 16Neguin caipira comeu gay conto eroticoNovinha Bebi porra do meu amigo contoBotei o pau na minha tia crenteConto erotico sou vadia maduracontos eróticos de pai e filhaesposa grupal com 18 aninhos contoscontos sequestro e estupro gostosominha novinha tarada contocontos chupando varios caralhos negroswww.contoseroticosenfermeirasconto erótico: festa da mamÃecontos eroticos de irmã chupando pinto pequeno do irmão novinho de idademinha enteada inocente conto eroticodona Florinda abrindo pernas mostrando calcinha porncdzinhas como tudo começou contoscontos eroticos boquete da cumadrevoyeur de esposa conto eroticoconto pernas fechadasconto erotico de mulher casada socando o pepino na buceta e cenoura no cuconto erotico esposa bloco carnavalconto erotico historia de mulheres casada em fretando pau gradePorno contos avo's maes lesbicas iniciando suas novinhas em orgiasconto comi a freiraContos gay de professor de musculação dando o cu para dois alunos dotadoscumi minha intuadaContos eróticos a baixinha gostosonacontos incesto sobrinha da tia crente lesbicasconto erotico gay dando pro pedreiro sarado de 29 anosGay com mulher contocontoserotico sou senhora ensinei minha filha ser postitutaporno home pau motruoso no cu de odro homecontos erotico suruba com negaocontos de coroa com novinhocu cheio de muita manteigavideos a muher levantado o vestido pra maridocomer a buceta delacontos traindo meu maridominha mulher caminha toda noite na areia da praia conto de cornocontos veridico de desejo realizadocontos chantageada pelo genro e pela filhawww.contos de abusada desde pequena pelo tio no incestocontos eroticos minha mulher gosta de apertar minhas bolasChupa meu cacete com barreiracom amigo na praiaconto eroticoconto o mendigo roludo comeu minha mulhercontos pisando na cara e comendo cumeu marido sempre pedia pra eu me depilar yodinha contosesposa de bikini fio dental contocontos de portuguesas que gostam de lamber conas porcascontos porno travestis estupros sadomazoquismocontos eróticos gay primeiro encontroultimos contos eroticos dando o cu pela primeira vez gayso sobrinho contoscontos eróticos menina transa por balaContos algemado e dominado