Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUANDO COMI A MINHA MÃE

Minha vida sexual começou quando eu tinha doze anos, graças a uma empregada que foi trabalhar na casa de minha mãe, na época ela tinha dezoito anos, e também era virgem, por isso, o nosso aprendizado foi feito aos poucos e de forma conjunta, o que foi bastante interessante.



Nosso relacionamento durou oito anos, e durante este período realizamos todas as nossas fantasias, e que a partir de agora relatarei a vocês, sendo a primeira, o dia em que fizemos sexo com a minha mãe.



Como ela morou bastante tempo em casa, criou-se uma intimidade entre ela e todos da família, principalmente, entre ela e minha mãe, que fez dela uma confidente e mais tarde uma amante.



Minha mãe tinha 46 anos, 1,55 de altura, branca, e confidenciou para Márcia, que nunca tinha gozado, e que não gostava de sexo, pois, achava nojento e repugnante, eu sempre presenciei a minha mãe trocar de roupa, porém, nunca a vi completamente nua, no máximo de calcinha, ou melhor, calçola.



Apás dois anos que eu e Márcia nos relacionamos, começamos a ter muita liberdade em casa, tanto que muitas vezes ela dormia no meu quarto, sem que meu pai ou minha mãe se incomodasse com isso.



Meu pai viajou a negácios, e iria passar uma semana fora de casa, então Márcia me confidenciou que tinha vontade de transar com a minha mãe, para fazer ela gozar, pois, ela ficava indignada de uma mulher estar chegando à menopausa, sem ter gozado uma única vez.



A principio não gostei da idéia, porém, tínhamos tido experiências maravilhosas, e perguntei como ela faria isso, pois, a minha mãe era muito conservadora e dificilmente toparia esta situação.



Na sexta feira, ela ficou arrumando a casa até oito horas da noite, minha mãe perguntou por que ela estava fazendo faxina na sexta, se o costume era no sábado, então ela respondeu que iria aproveitar que o meu pai tinha viajado, e iria tomar sol no dia seguinte.



O sol amanheceu maravilhoso, e apás tomarmos o café da manhã, Márcia falou que iria colocar o biquíni, e minha me chamou para que eu a ajudasse a organizar os vasos de plantas no quintal.



Estávamos arrumando os vasos, quando Márcia apareceu no quintal com a toalha enrolada na cintura, e com a parte de cima do biquíni mal tampando os mamilos, a propásito, Márcia tinha a mesma altura da minha mãe, morena clara, e com seios fartos e deliciosos.



Ela então tirou a toalha e revelou um fio dental delicioso, percebi o olhar reprovativo da minha mãe, e o olhar provocante de Márcia, que começou a passar o protetor solar de forma lenta e maliciosa, foi quando ela pediu para que eu passasse nas suas costas, como eu sabia das suas intenções, falei para que minha mãe o fizesse, pois, estava com as mãos sujas de terra, minha mãe começou a espalhar o protetor pelos ombros, e senti prazer no rosto de Márcia, foi quando ela pediu se ela podia tomar sol nua, minha mãe olhou para mim, e com certeza percebeu a minha cara de sem vergonha, e falou que ela podia tirar a parte de cima que não estava tampando nada mesmo, mas que a parte de baixo ela não poderia tirar.



Quando a minha mãe estava espalhando o protetor nas suas costas, ela pediu para que soltasse o biquíni, quando vi a parte de cima se soltando, meu pau ficou duríssimo, e como eu estava de short sem cueca, as duas perceberam na hora e começaram a rir.



Continuamos a fazer o nosso trabalho, quando a Márcia se levantou e disse que ia tomar água, foi quando a minha falou que tinha notado que o meu negocio havia crescido quando eu tinha visto os peitos da Márcia, então, eu falei que se quisesse ver de novo, bastaria que deixasse ela ficar completamente nua.



Assim que a Márcia voltou para o quintal, minha mãe perguntou se ela que tirar a parte de baixo, e diante da afirmativa, minha mãe foi até ela e soltou os dois laços da calcinha, que se desprendeu facilmente, deixando Márcia completamente nua, e o meu pau rígido, e agora sem nenhuma vergonha de se expor.



Na hora do almoço, enquanto a minha mãe preparava a comida, Márcia foi tomar banho, e eu fui até o supermercado, buscar refrigerante, quando voltei minha falava que queria ver eu e Márcia transando, pois, tinha ficado bastante excitada, vendo ela nua e eu com o pinto duro.



à noite estávamos assistindo televisão, e Márcia veio e me beijou na boca, era a primeira vez que nos beijamos na frente da minha mãe ou do meu pai, confesso que fiquei muito sem graça, e fiquei mais ainda quando minha mãe falou que sabia que a gente trepava, nunca poderia imaginar uma palavra destas na boca de minha mãe.



Márcia então me puxou para o quarto, e deixou a porta aberta, eu sabia que a minha mãe iria nos espiar, mas, não contei para ela este detalhe, pois, queria que tudo fosse o mais natural, Márcia não perdeu tempo, abaixou meu short, e começou a chupar o meu pau maravilhosamente, quando olhei para a porta minha mãe estava em pé, e olhava fixamente para a cena, foi quando deitei a Márcia na cama e comecei a tirar a sua roupa, primeiro, abaixei a camiseta e comecei a chupar aqueles seios maravilhosos, em seguida, tirei a camiseta e o sutiã, e desabotoei a sua calça, de forma a enfiar a mão por dentro da calcinha, ela então começou a gemer como uma gata, e pediu que eu enfiasse dois dedos na sua buceta.



Nisto minha mãe se aproximou, e começou a beijar a Márcia na boca, fiquei louco, não podia acreditar que aquilo estava acontecendo, tirei a calça e a calcinha da Márcia de uma sá vez, e comecei a chupar a sua buceta, minha mãe por sua vez, abocanhava os seios, com uma destreza indescritível, Márcia gozou intensamente na minha boca, quase ao ponto de perder os sentidos, mas, tornou a beijar na boca de minha mãe, e começou a tirar a sua roupa, porém, minha mãe resistia, apesar da insistência de Márcia e também da minha torcida.

Minha mãe começou a ceder, e Márcia tirou a sua blusa e seu sutiã, e agora eu via aqueles seios, de forma diferente, e chupamos os dois ao mesmo tempo, enquanto Márcia, bolinava a minha mãe por baixo da saia, eu tentava beijar a minha mãe na boca, o que ela não aceitava, ofereci a ela meu pinto, ela timidamente pegou e começou a me punhetar, enquanto isso, Márcia tirava a saia, e passava a mão por sobre a sua calçola, não estava aguentando, e levei o pinto em direção a boca da minha mãe, que lentamente começou a chupá-lo, então, Márcia tirou a sua calçola, e revelou uma buceta cabeluda, que parecia nunca ter sido depilada, e começou a chupá-la, eu não queria gozar agora, então, fui por trás da Márcia, e comecei a chupar o seu cú, então ela se deitou por cima de minha mãe, e eu, enfiei na sua buceta, de forma que as duas bucetas ficaram se esfregando.



Foi quando, Márcia escorregou para frente, e o meu pau ficou junto à buceta de minha mãe, não pensei duas vezes e comecei a colocar ele para dentro, minha mãe dizia que não podia, que era pecado, mas, eu a notava excitada e cada vez mais molhada.



Márcia se levantou e colocou a sua buceta na boca de minha mãe que começou a lamber deliciosamente, e dava estocadas cada vez mais fortes, foi quando minha mãe falou que estava sentindo algo diferente, uma vontade de ser fodida, Márcia começou a chupar os seus seios e a passar a mão na buceta junto com o meu pinto, ela foi gozando aos poucos, até chegar ao gozo verdadeiro, que veio acompanhado de risos e lágrimas.



Agora chegou a minha vez, pedi para que a minha mãe virasse para que eu pudesse gozar na sua buceta, quando ela virou, olhei aquela bunda branquinha, com um cuzinho bem cabeludinho, e comecei a roçar a cabeça do pau nele, minha mãe disse que não queria, mas, Márcia disse para ela experimentar, e cuspiu bem no meio do orifício, e começou a massageá-lo, fiquei maluco e comecei a passar a língua e introduzir o dedo na buceta da minha mãe, que rebolava e pedia para ser comida, direcionei o pinto e comecei a introduzir, minha mãe falou que estava doendo, mas, eu continuei até que ele entrou todo, bombava devagarzinho para não gozar logo, até que ficou impossível segurar, então a coloquei de gatão, e coloquei até no fundo, gozei muito, inundando aquele cú maravilhoso, relaxamos e curtimos muito aquele momento, que foi o primeiro dos muitos que passamos juntos.



[email protected]



fim





VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS



conto erotico irma asusta com o tamanhoos terriveis amarrada no pornocalçinhas meladinhas nelascontos erotcos cunhada na viahemconto erotico adoro mostrar meu bumbuma minha vizinha casada anal primeira vez - contos eroticoscontos espiando o sobrinho dotadoconto erotica a santinhocontos erotico meu cu mastigando o contos eroticos madrasta lesbica obrigo eu da u cuchaves comendo cu da chiquinhaA chapeleta arronbou minha bucetinha contosconto erotico "maior que do meu marido"Oq deu a chantagem do sindicopatroas sapecas contosMeu Rabo me fazeu confesso que transei com uma idosacontos eroticos marido da minha conhada safadoContos eroticos cu ardidoConto erotico cu arrochado fiquei esfoladocontos não resisti ao cacetaocontos eróticos de bebados e drogados gaysidade da loba contoscu delicioaoEngolindo a piroca do irmozinho contoseroticoscontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casaconto erotico viadinho vestindo as calcinhas pro velhohistoria quadrinho eroticos de sexo na chuva bicontos erótico meu pai meu cafetao contosvizinha trai marido com cunhadinho contosconto porno estrupada por cavaloContos eroticos, Meu filho me fode tanto Atrasconto anal rabao gggcontos eroticos ultcontos eróticos fudida na torcidaWww.contoeroticopai.comcrossdresser marquinha de biquini contosconto erotico gay coroa pirocudo do bar me levou pra casa dele e me arrombouSou casada mas bebi porro de outra cara contosSou casada fodida contopeguei no pauzao do primo que durnia sou tarada contoContos comendo a surdacontos eroticos minha namorada so quer mama contos eroticos dando pro pai heterosubrinho libera a esposa pra fuder com seu tio pica de cavaloestuprada na balada contos eroticoscontos de coroa com novinhocontos relatos de mulher que transou com genro e nao parou maisComtos mae e filha fodidas pelos amigos do paimeu cachorro meu machocontos eróticos novinha no ônibusapanhando e gozandoconvenci meu pai a levar me com ele ao clube de swingers conto eroticoconto erotico: a gaucha e o porteiromulheres aguachadas com as pernas abertas so de calcinha fotosvidios mulheres pelada mais o amigo e diz a ele pra bater ponheta na boca dela e derama galaconto errotico como conquistar sobrinha muinto dificilLeite com sorvete contos eroticosO amigo dele me comeu contoscontos eróticos pegando a namorada bebada do amigo mulheres violadas contos eroticoscontos eroticos de rafinha do mercadocontos casada vai a festa de faculdade e se da malsou puta do meu cachorrocontos eroticos comendo a a amiga da irmacontos de meninas que adoram ser estrupadas por todos dà casacontos eroticos lipando cu linguaSou casada fodida contogozanto pra caralioMinha mulher viu o pau do menino - contoscontoseroticosbvFUI ENRABADA PELO MEU IRMÃO NEGÃO contosabacinho da japa